O PROJECTO

Contribuições, insultos, projectos de execução, mas principalmente donativos chorudos para:

blog_oprojecto@hotmail.com (com minúsculas)

terça-feira, julho 13, 2004

 

O canto do cisne

A arrogância de quem se achava «sem dúvida o melhor arquitecto vivo». Uma figura altiva, distante, senhorial. A sua história de vida completamente louca. Dá a impressão que passou por tudo aquilo sempre de chapéu e sobretudo, de bengala na mão apontando nas obras. Esteve-se a marimbar para o «modernismo» de Corbusier, da abstracção e das formas puras. Em vez disso, agarrou-se à terra como faziam as suas casas da pradaria, e bebeu de todas as simbologias e texturas possíveis. Um dia um cliente telefonou-lhe, dizendo que chovia na mesa da sala de jantar. Wright não hesitou: «mude a mesa de lugar». Acusaram-no de não ser moderno, de não saber ser moderno. Comparavam-no a Corbusier nessas acusações. Sobre Corbusier ironizou: «Well, now that he's finished one building, he'll go write four books about it.» E com isto relativizou a propaganda.
O seu canto de cisne foi demolidor. Pressentindo a morte, decide "conceder" às críticas. E propõe-se a desenhar um "edifício moderno". Em 1959, apenas alguns meses após a sua morte, abre ao público o Guggenheim de Nova Iorque. Se Corbusier teve alguma decência, corou.



Comentários:
Adorei a página de rosto. E gosto de ter uma relação amor ódio com o koolhas.
E tendo alguma decência, acho que corei.
Mais não seja por ser mesmo verdade que a intenção foi perfeitamente construída. Bonito.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

Arquivos

Junho 2003   Julho 2003   Agosto 2003   Setembro 2003   Outubro 2003   Novembro 2003   Dezembro 2003   Janeiro 2004   Fevereiro 2004   Março 2004   Abril 2004   Maio 2004   Junho 2004   Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]