O PROJECTO

Contribuições, insultos, projectos de execução, mas principalmente donativos chorudos para:

blog_oprojecto@hotmail.com (com minúsculas)

quarta-feira, setembro 29, 2004

 

As Sete Falácias: #7, «Mais, Maior, Mais Alto»

[Até ao embargo de 1973, a arquitectura Modernista, bem como toda a sociedade Ocidental, vivia num alegre consumo e exploração dos recursos naturais. Mesmo com as massivas reformas ambientais e com as alterações universais de comportamento que emergiram durante as décadas de 70 e 80, os Americanos ainda consomem cerca de 5 vezes mais do que a sua cota energética e produzem uma quantidade semelhante de gases estufa. A nossa casa média ocupa hoje um lote maior e cresceu cerca de 40% na última geração, ainda que os agregados familiares tenham diminuído. Em 1900, a casa média americana nem tinha casa de banho; em 2000 a casa nova média tem menos ocupantes do que casas de banho! E gastamos mais nelas por metro quadrado do que em espaços públicos.

A responsabilidade legal tradicional do arquitecto na América de proteger «a saúde pública, a segurança, e o bem-estar» precisa de ser recalibrada: por saúde pública já não se entende o controlo de doenças infecciosas mas a limpeza dos terrenos livres e do ar poluído; a segurança é mais sobre ruas seguras e segurança nos edifícios do que a protecção a colapsos estruturais e controlo do risco de incêncios; o bem-estar é hoje mais sobre a conservação dos bons locais existentes e a criação de novos ambientes calmos e acessíveis num mundo cada vez mais caro e frenético.

As três bases da sustentabilidade - Ambiente, Economia, e Equidade - precisam de um quarto vector, a Estética, como Fritz Steiner e outros arquitectos paisagistas têm indicado. Porque se um edifício, paisagem, ou uma cidade não forem belos, não serão amados; e se não são amados não serão mantidos nem sustentados. Adicionar a Estética ao conceito de sustentabilidade é a chave que falta para tornar mais «verde» a cultura arquitectónica profissional e académica.

A arquitectura pode fazer muito mais com muito menos. Vamos ensinar a próxima geração bem como a nós próprios a construir menos mas melhor, e com menos; a reciclar; melhor ainda, a reutilizar; a projectar para o «agora a longo prazo»; a lembrar que a sustentabilidade e a justiça ambiental são intergeracionais bem como internacionais.]
Comentários:
best regards, nice info film editing schools
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

Arquivos

Junho 2003   Julho 2003   Agosto 2003   Setembro 2003   Outubro 2003   Novembro 2003   Dezembro 2003   Janeiro 2004   Fevereiro 2004   Março 2004   Abril 2004   Maio 2004   Junho 2004   Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]